FECHAR
Tonalidade -1 Tom -1/2 Tom +1/2 Tom +1 Tom Nomenclatura Cifras Recentes
Fraco Regular Bom Muito Bom Ótimo
G D7 G

D7                 G                        D7
Eu nunca froxei a perna pra potro que corcoveia
                                            G
Me criei montando em pêlo surrando só nas orelhas
                    Bb
E quando o matungo roda é que coisa fica feia
                  Am      D7                  G
Sou ligeirito no más sou destes que não se enleia
Int 

 D7                G                         D7
Num aparte de mangueira tanto a pé como a cavalo
                                           G
Na saída de algum brete sempre botei meu pealo
                      Bb
E quando a prosa é demais que eu ouço muito e me calo
                      Am        D7                 G
Me deito em altas da noite me acordo ao cantar do galo
Int 

  D7                 G                      D7
Quando faço um alambrado que estico bem o arame
                                              G
Se escapa o estirador o tombo é que é mais infame
                    Bb
Se danço mal no fandango não importa que reclame
                Am          D7          G
Em namoro de cozinha só me paro no baldrame
Int 

 D7               G                       D7
Se me meto na carpeta pra jogar não jogo pouco
                                                 G
Se for preciso até brigo mas não entrego o meu troco
                    Bb
O jogo é coisa do diabo e eu sou burro quando empaca
                    Am           D7           G
Já levantei de uma mesa com dez cartas na guaiaca
Int 

 D7                   G                         D7
Meu serviço é coisa bruta que não serve pra doutor
                                              G
Nem pra estes da cola fina metido a conquistador
                 Bb
Vivo lavrando a boi pisando no meu suor
                   Am      D7               G
Levantando alguma vaca no fundo de um corredor
Int 

 D7              G                        D7
Fui criado meio xucro um pobre peão de estância
                                               G
Venho curtido da estrada de tanto encurtar distância
                     Bb
Respeitando minha estampa do amor pela querência
                    Am               D7            G
Sou feito de pau a pique com o Rio Grande na consciência
Int  



                       Enviado por:  Usuário Anônimo






Todos os direitos reservados ao autor.

Políticas de Privacidade
Visite nosso site www.CifrasFx.com.br